Com correção online de redação, edtech ajuda alunos a se prepararem para ENEM

Pontue, acelerada pela Sevna Startups, já atende 2,5 mil estudantes em 12 estados brasileiros; startup negocia com grandes grupos educacionais

Experiência no mercado, competência técnica e um ideal: fomentar o desenvolvimento educacional do aluno, facilitando, assim, o acesso às melhores universidades e oportunidades. Com esse objetivo, a professora Cris Miura, especialista em tecnologia e linguística, desenvolveu a Pontue – edtech que trabalha o desenvolvimento das competências para a escrita da redação e é acelerada pela Sevna Startups.

Com o negócio focado no atendimento às escolas, a Pontue oferece uma plataforma que orienta os estudos dos alunos com correções em vídeo, material digital e equipe de professores. As videoaulas são divididas em quatro categorias: redação básica, avançada, Enem e vestibulares das universidades estaduais paulistas.

Um diferencial oferecido pela Pontue é a correção de redações online. Os estudantes podem enviar semanalmente os textos. “Os alunos fotografam o texto e enviam pela plataforma. Esses textos são corrigidos por uma equipe altamente especializada de professores e o aluno recebe, também pela plataforma, o feedback, em uma gravação de vídeo personalizada, que mostra os pontos onde o aluno está falhando e o que pode ser melhorado”, diz ela.  “Essa tecnologia permite ao aluno aumentar em mais de cinco vezes a retenção da aprendizagem, comparado a uma correção somente por escrito”, explica.

Segundo Cris, a redação é, hoje, essencial para quem quer ingressar em uma universidade, já que a nota na prova escrita corresponde a quase 30% da média final do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). “Todos os anos, mais de 7 milhões de jovens fazem a prova do Enem e, infelizmente, mais da metade não consegue atingir 500 pontos na redação. Conseguir uma boa nota é fundamental para qualquer aluno que deseja alcançar o sonho de entrar em um curso universitário, tal como Medicina ou Direito. E, transformar este sonho em realidade é o negócio da Pontue”, conta.

Mais do que discurso, Cris conseguiu mostrar, na prática, que sua ideia funciona e que apostar na personalização dos conteúdos e das correções é eficaz. Ela validou seu modelo de negócios em uma escola particular de Ribeirão Preto. Ao utilizar a metodologia, houve um salto na média de notas da escola, que ocupava 11º posição na cidade, para a primeira colocação.

DIFERENCIAL

A Pontue venceu a edição de 2015 da Startup Weekend Education e do Founder Institute, o maior programa global de aceleração de startups, em 2017. Para isso, segundo Cris, conta com um grande diferencial, além da tecnologia: a qualidade dos professores.

“Sou professora há dez anos, tenho a prática e conheço as dificuldades. Optamos por investir na qualidade das correções e dos conteúdos, disponibilizados através de uma plataforma”, explica ela, que é licenciada em Letras pela Universidade de Ribeirão Preto e é especialista em Linguística pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) e tem ainda especialização em Tecnologia aplicada à Educação pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul.

Houve, entretanto, momentos de dúvida sobre qual caminho seguir. Num primeiro momento, a intenção era fornecer a plataforma e o serviço de forma independente, com foco em captação de clientes avulsos, mas, ao passar pelo processo de aceleração promovido pela Sevna, percebeu que deveria mudar o foco do seu negócio. “Ao longo do processo de aceleração, percebemos que nosso primeiro público seriam as escolas. Foram muitas discussões e o processo de aceleração me mostrou o caminho. Essa definição foi fundamental para o nosso crescimento”, conta ela.

Com a pivotagem, a escalada começou. Em fevereiro de 2018, a Pontue tinha cem alunos pagantes cadastrados, além de mil gratuitos. Com a mudança nos negócios e o foco nas escolas, sistema já atende aproximadamente 2,5 mil alunos que geram receitas para a startup, distribuídos em mais de 12 estados. Negocia ainda com grandes grupos educacionais, com o objetivo de capilarizar a expansão.

NEGÓCIOS

Atualmente passando pelo estágio de crescimento, a empresa está próxima de atingir seu ponto de equilíbrio e atingiu um faturamento que alcança a casa dos R$ 150 mil por ano, mas está pronta para crescer. Para isso, novas captações de recursos estão no radar. “A Pontue deverá buscar mais recursos no mercado em rodadas de captação. O objetivo é expandir a área de atuação. Estamos organizando essa questão e a intenção é conseguir presença em outras cidades e ganhar escala”, conta Cris.

Cris também ressalta que, graças ao processo de aceleração feito na Sevna, desenvolveu uma ampla rede de networking, incluindo fornecedores, investidores e profissionais que ajudaram o negócio a deslanchar.

“Foi um processo intenso de mentoria, de modulação do negócio, de desenvolvimento. Nós evoluímos muito como empresa e conseguimos, graças ao processo de aceleração, definirmos uma estratégia de mercado e desenvolvermos nossa solução”, conta.